24/11/2014

(Resenha) O Guardião - Nicholas Sparks


Julie era uma garota sozinha no mundo. Após uma briga com sua mãe, sai de casa e passa por maus bocados na rua, até encontrar Jim. Os dois se casam e vivem felizes para sempre... Bem, o para sempre não foi tão longo quanto imaginara. Ele morre, deixando-a só, novamente. 

Numa noite, quarenta dias após seu marido morrer, bate em sua porta um homem com uma "encomenda". Na caixa, havia um cachorrinho fofo. Quatro anos depois, esse filhotinho torna-se um cachorro enorme, desengonçado e super protetor. Julie, então, começa a sentir falta da companhia de alguém.

Seus primeiros encontros são um desastre, até que surge Richard Franklin. Ele a trata como uma rainha, literalmente. Ele faz até massagem nos seus pés! Julie não consegue mais conversar com Mike, seu melhor amigo, sobre essas coisas. O motivo é bem óbvio: ele arrasta os quatro pneus por ela.

Julie começa a notar Mike. Richard, o engenheiro sedutor, ou Mike, o mecânico sexy, amigo, com mãos sujas de graxa? Julie terá que escolher um dos dois, é claro, afinal, bigamia é crime, até onde eu sei. A escolha parece difícil e colocará sua vida em risco. "Mas, por quê?", você deve estar se perguntando. Bom, um desses dois caras é um louco, psicopata que irá persegui-la.

Esse é o primeiro livro que leio do Nicholas Sparks, ou melhor, o super-mega-Nicholas Sparks, como a maioria dos seus leitores o consideram. Quando contava a alguém que nunca tinha lido nenhum livro do autor, as pessoas me olhavam e pareciam pensar: "Nem parece uma leitora". Chegava a parecer pecado eu nunca ter me aventurado pelas páginas adocicadas dos seus romances.

Ao decidir ler O Guardião, não comecei com muitas expectativas. Esperava encontrar um romance bem fofinho e adocicado, contudo muito bem escrito, afinal, o autor é muito renomado. Porém, eu amo ser surpreendida, para o bem, é claro.

Não queria encontrar personagens e cenas chatos, clichês, clássicos. Comecei a ler esse livro semanas antes de fazer o vestibular, ou seja, queria algo para me tirar da realidade, nem que fosse por alguns minutos, queria desanuviar um pouco. Imaginei que um romance água-com-açúcar, como são conhecidos os livros desse autor, proporcionaria essa descontração.

Logo no prólogo, não pude deixar de notar as semelhanças com P.S. Eu te Amo, filme escrito e dirigido por Richard LaGravenese, baseado no livro homônimo escrito por Cecelia Ahern. Marido morto com um tumor no cérebro, viúva não sabendo como viver sem o amor da sua vida, um presente póstumo... Quem assistiu ao filme ou leu o livro sabe que esses elementos estão presentes no enredo.

Os personagens são típicos: Julie, a desprotegida, a viúva triste, o tipo de mulher que não sabe que, quando uma torneira quebra, devemos desligar o registro para que a cozinha não se torne um rio; Mike é o melhor amigo, super herói (leia na parte sublinhada: mecânico), sarado, mesmo jantando Doritos, cerveja e Big Mac; Mabel é a dona do salão onde Julie trabalha, a excêntrica para os olhos da sociedade da pequena cidade onde moram. Pensa que acabou? Ainda tem a loira com pouca massa encefálica que usa minissaia.

O melhor personagem do livro é Singer. O autor soube dar realidade a um cachorro que tem hábitos não... caninos. Bem, a construção da frase ficou um pouco confusa, eu sei. O autor mostrou com maestria a forma como um animal, especialmente os cães, têm atitudes semelhantes às de um humano, um bom ser humano. Singer fez com que eu recordasse de Marley e eu, mas, vejam só, apenas recordei. Singer foi um personagem único, não foi uma cópia de outros livros ou filme, diferentemente de outros personagens, como os que eu citei acima.

Achei a história um tanto previsível. Logo no capítulo três já sabia tudo o que aconteceria. As últimas 100 páginas até que nos proporciona certa adrenalina. Nenhuma cena inovadora. Parece que esse livro é uma coletânea de todos os filmes e livros de romance que já li, por isso a trivialidade. Ao ler as cenas, você terá aquela sensação de Déjà vu.

Achei interessante que o autor buscou mostrar como são tratados os casos de assédio. Ele focou no despreparo dos policiais ao lidar com esses casos e a forma como a mulher fica vulnerável diante desses sociopatas. Ponto positivo para o Nicholas.

Não curti muito a leitura. As duzentas primeiras páginas tiveram a função de espantar a insônia. Juro! Essa não é uma tentativa de parecer cômica. O livro realmente me deu sono. Essa é a primeira resenha em que não irei recomendar o livro para ninguém. O Guardião não me trouxe distração, pois achei a leitura cansativa, tanto que senti muito sono durante a leitura. Os personagens não são únicos, pois parecem uma espécie de "síntese" dos personagens que vemos nos dramas.

O livro não supriu minhas expectativas, tampouco me surpreendeu.

FICHA TÉCNICA
Sinopse: Quarenta dias após a morte de seu marido, Julie Barenson recebe uma encomenda deixada por ele. Dentro da caixa, encontra um filhote de cachorro dinamarquês e um bilhete no qual Jim promete que sempre cuidará dela. Quatro anos mais tarde, Julie já não pode depender apenas da companhia do fiel Singer, o filhotinho que se tornou um cachorro enorme e estabanado. Depois de tanto sofrimento, ela enfim está pronta para voltar a amar, mas seus primeiros encontros não são nada promissores. Até que surge Richard Franklin, um belo e sofisticado engenheiro que a trata como rainha. Julie está animada como havia muito tempo não sentia, mas, por alguma razão, não consegue compartilhar isso com Mike Harris, seu melhor amigo. Ele, por sua vez, é incapaz de esconder o ciúme que sente dela. Quando percebe que o desconforto diante de Mike é causado por um sentimento mais forte que a amizade, Julie se vê dividida entre esses dois homens, ela tem que tomar uma decisão. Só que não pode imaginar que, em vez de lhe trazer felicidade, essa escolha colocará sua vida em perigo. O Guardião contém tudo o que os leitores esperam de um romance de Nicholas Sparks, mas dessa vez ele se reinventa e acrescenta um novo ingrediente à trama: páginas e mais páginas de suspense.

Adicione ao skoob aqui
Título: O Guardião
Subtítulo: Seu Grande Amor Pode Estar Mais Perto do que Você Imagina
Autor: Nicholas Sparks
315 páginas
Editora: Arqueiro
ISBN: 978-85-8041-256-7
Compre: Cultura | Amazon | Saraiva

16 comentários:

  1. Oi, Karina. Tenho esse livro em casa há um bom tempo e ainda não li... Até a metade da sua resenha achei que você tinha gostado, mas depois me desanimei ao descobrir que você se entediou... haha fiquei ainda com mais preguiça de ler. Por outro lado, eu não sabia direito do que a história se tratava e fiquei curiosa. Acho que já sei quem é o psicopata, mas agora terei que ler para descobrir se meu palpite é o correto haha Beijos!

    http://www.secretfantasybooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente seu palpite está correto. Não exagerei quando disse que o livro era previsível... Obrigada pela visita e volte sempre!

      Excluir
  2. Bom, eu já tive uma pequena coleção dos livros do Sparks aqui em casa, até me dar conta que ele não é, nem de longe, o meu escritor preferido e resolvi doar a minha coleção a uma amiga necessitada. E, sinceramente, não sinto remorso por isso. Sou do tipo de leitora que busca emoção nos livros e os dele nunca me proporcionam nada, além de certa irritação. Não gosto da escrita dele, acho-a muito pobre, e suas histórias sempre seguem, praticamente, a mesma fórmula. São muito previsíveis, e eu não gosto disso. Lendo o resumo da trama na sua resenha, até me deu vontade de ler, mas daí você começou a comentar sua opinião e desisti da ideia, haha. Que bom que eu não sou a única que não se sente surpreendida pelos livros do Nicholas!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como disse, o livro pareceu uma "síntese" louca de todos os filmes/livros de romance. Não curti.
      Esqueci de colocar na resenha que não planejo ler outro livro do autor. Planejava ler "Um Amor para Recordar", mas, depois dessa leitura, acabei desistindo. Eu amei o filme, sabe? Então, se eu ler o livro talvez a boa lembrança do filme se apague...
      Obrigada pela visita e volte sempre.

      Excluir
  3. Olá Karina.
    Eu amo Nicholas Sparks, mas esse livro eu ainda nao li. Teve alguns dele que o começo foi entediante mas o meio e o final foram compensadores. *-*
    Mas adoro o jeito que o autor escreve e suas historias são emocionantes.
    Uma pena você não ter gostado. =/ Mas é isso aí, nem todos tem que ter gostos iguais. ;)

    Beijos
    Carolina
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No caso de "O Guardião" o final foi um pouco interessante. O meio me deixou com sono, como relatei.
      Obrigada pela visita e volte sempre, linda!

      Excluir
  4. Olá querida, como vai?
    Já li este livro, e realmente me desanimei bastante sobre a leitura também. Como sempre o Nicholas me desanimou com os seus livros. Os personagens totalmente imprevisíveis o que acabou se tornando um dos meus preferidos também foi o cachorrinho. A salvação do livro alias... Mas enfim, um dos livros que mais desgostei do Nicholas.
    Parabéns pela resenha.
    Sucesso e um abraço.
    chuvaelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, linda, tudo bem.
      Também acredito que o cachorro foi a salvação dessas 315 páginas. O final também foi um pouco empolgante.
      Obrigada pela visita e volte sempre!

      Excluir
  5. Oii, tudo bem?
    Eu nunca li nada do Sparks, nunca deu aqueeeela vontade...
    Agora eu fiquei com medo de ler...
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também estava assim, antes de ler "O Guardião". Comece, então, lendo outra obra, pois ele possui tantas, não é?
      Obrigada pela visita e volte sempre.

      Excluir
  6. Não sou muito fã de Nicholas, mas a gente pode sempre tentar de novo rsrs
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, claro, mas recomece por outra obra, eu aconselho. Obrigada pela visita e volte sempre.

      Excluir
  7. Não conhecia esta obra ainda... Mais gostei muito... Parabéns pela resenha.. Bjos!
    www.batomnacapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Acho o Nicholas Sparks tipo Paulo Coelho. Ele segue uma formula. Eu li Um Amor para Recordar. E assistir todos os filmes baseados em suas obras. São água com açúcar. Não faz mal, mas também não desorganiza/surpreende.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Percebi isso também. Quer dizer, assisti somente "Um amor para recordar" e li esse livro, talvez não tenha muita base para afirmar isso, mas o que me pareceu foi isso. Usar uma fórmula deve tirar toda aquela emoção boa que temos ao escrever uma história.

      Obrigada pela visita e volte sempre.

      Excluir

Seu comentário é importante e sempre bem-vindo!
*Você pode comentar sem ter uma conta do Google. Escolha a opção NOME/URL. No espaço para NOME, coloque seu nome/apelido e o espaço para URL não é obrigatório, mas se quiser, pode colocar o endereço de alguma rede social que possui.
*Blogueiros, deixem o link de seus blogs para que eu possa conhecê-los.
*Viu algum erro ortográfico no post? Desculpe-me, às vezes esses danados passam pela minha revisão. Bem, se não for muito incômodo, peço que use o formulário que se encontra na barra lateral direita desse blog para me informar do erro. Desde já agradeço a atenção.
Obrigada pela visita e volte sempre!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...