12/07/2013

(Resenha) Meu amor, Meu bem, Meu querido – Deb Caletti




                                            



Não tenho palavras para descrever "Meu amor, meu bem, meu querido”. Foi uma jornada de autoconhecimento para mim, revi alguns de meus conceitos. Chorei lendo-o e escrevendo esta resenha. Chorona!

O enredo...
Após passar por situações constrangedoras em sua escola Ruby Mcqueen se torna "A garota calada"


"Mas é verdade que experiências humilhantes podem minar a sua confiança, como sal em água"pág.10


Chega o verão na cidade de Nine Mile Falls e Ruby conhece "o maravilhoso, rico e louco por emoções Travis Becker" como diz na capa do livro. Ruby começa a enxergar no verão e em Travis uma forma de mudança de seu eu, deixar de ser a garota calada, a boazinha por um tempo.

"E acho que, num verão, somente naquele verão, aquilo foi verdade. Eu tinha mesmo uma vida emocionante e cheia de aventuras, uma vida de livro da biblioteca onde minha mãe trabalha [...]. Afinal de contas, o verão é uma época em que grandes coisas acontecem para as pessoas caladas. Naqueles meses curtos, você não precisa ser o que todo mundo pensa que é [...] "pág.12

Travis apresenta seu mundinho medíocre para Ruby. Um mundinho cheio de privilégios, perigosíssimas "aventuras" e ilegalidades.

"Travis olhou para mim e disse:
– Ruby! – Nunca tinha escutado ninguém me chamar daquele jeito. Ele pegou minha mão e a aproximou do coração dele. E, então, colocou a dele no meu peito. – Você tá sentido? Os nossos corações em uníssono? Eles estão batendo no mesmo ritmo. "pág.62

O que é de se esperar é que todos ao seu redor se assustem com suas atitudes. Até ela mesma.

"– Oi de novo – ele cumprimentou.

– Ei, meu riquinho patético favorito. – Bem, eu não sabia de quem era esta voz. [...]"pág.56

Até então as "aventuras" de Travis não passavam de atitudes inconsequentes, até começar um ciclo vicioso que, realmente, não se pode mais classificar como atos incosequentes.


A mãe de Ruby, Ann, tentando manter sua filha afastada, tanto fisicamente quanto psicologicamente, de Travis decide levá-la para um grupo de leitura semanal, chamado as rainhas caçarolas, que ela comanda.


O livro que está sendo debatido pelas rainhas caçarolas é de Charles Whitney, um premiado escritor. Quando as Rainhas Caçarolas e Ruby descobrem que uma das integrantes do grupo é a protagonista do livro as duas, mãe e filha começam a planejar o encontro dos amantes de longa data, afinal o livro de Charles não teve um final feliz.


As Rainhas Caçarolas e a missão de promover o reencontro dos dois amantes acabam sendo uma grande lição de vida para Ruby, e para nós, e uma forma de desviar seus pensamentos do sem noção  Travis.


“Verdade. eu não pensei em Travis Becker o tempo todo que estive com as Rainhas Caçarolas. Não foi apenas distração, entretanto, como tinha sido com o filme do Frankenstein. Talvez todos aqueles anos naquela sala tornassem o mundo maior."pág.111


O que eu achei...
Estava no ônibus quando terminei a leitura. Passei meia hora fitando o corre, corre do Renascença através da janelinha do "busão”, estava tendo uma conversa comigo mesma. Estava revendo meus conceitos, o que eu queria, o que eu precisava, o que eu necessitava. Pensei tanto que nem percebi o barulho de uma manifestação que estava tendo do outro lado da pista. Meus pensamentos consumiram meus sentidos a ponto de eu nem perceber que o ônibus estava parado a um tempão engarrafamento. Não foi preciso conversar com um amigo, ou pagar para ter um amigo psiquiatra, para repensar algumas coisas, eu, simplesmente, li "Meu amor, meu bem, meu querido".


Se você tiver o exemplar veja o capítulo 12 e leia, com sua mente vazia, o que a velhinha super fofa Miz June fala. Depois de ler este trecho eu fechei o livro e refleti por muito tempo. Ou pouco? Bom, eu não costumo contar o tempo que levo matutando rs. É espontâneo.


Você deve está se perguntando o porquê deste título: "Meu amor, meu bem, meu querido”. Grande não é?Pois bem, na página 182 Miz June nos esclarece o que esta frase significa.


Você deve estar se perguntando, novamente,o porquê da blogueira aqui está fazendo tantos mistérios sobre o que eu aprendi, entendi e repensei. Isto não se deve ao fato de eu tentar não soltar spoilers e sim de querer deixar que você tenha a mesma sensação indagante que tive quando li os trechos citados e outros também. Você deve tirar suas próprias conclusões.Devo adiantar que eu sou uma pessoa completamente diferente de você e você é completamente diferente de mim.Talvez eu estivesse eu um momento em minha vida em que eu precisasse repensar e tenha em cabido o livro disso, ou não.O ser humano é uma incógnita fascinante. Talvez você tenha feito a leitura e odiado ou não ter entendido o significado, o que a autora quis te passar.


#Eu aprendi
Nunca dê a ninguém a difícil missão de preencher seus vazios.


"O amor pode chegar quando você já é você mesmo, quando está plena de si. Não acontece quando você procura em alguém uma forma de preencher suas lacunas – Falou Miz June – Nem mesmo quando você quer."pág.183


Miz June usou o exemplo do amor, mas posso usar a exemplo uma amizade, pessoas com TOK, leitores, como nós. Pessoas que tentam esquecer seus vazios se preenchendo de coisas que não irão preenchê-los. Por exemplo, Quando usamos dos problemas alheios para esquecer os nossos estamos tentando esquecer nossos vazios. Vamos lá gente vamos descobrir e preencher nossos vazios. Vamos descobrir a vida!


Devo informar que "Meu amor, meu bem, meu querido” não é um livro de auto-ajuda.


"Meu amor, meu bem, meu querido" não é um livro que mereça tudo o que falam dele. Só no 
skoob você pode ver as classificações dele. Três estrelinhas é muito pouco.

#Personagem marcante
Mas é óbvio que é a sábia Miz June.


Outros personagens também me marcaram, mas eu tenho que falar só um não é? rs Veja aqui o post que dediquei a Harold. Trata-se de uma nova coluna no blog, "No ritmo da leitura". Sim, ele ganhou uma música.


Eu achei estranho...
Sabe aquele palavrão feio com cinco letras, que começa com a letra "P" e termina com "A"? Ele foi pronunciado mais de dez vezes eu contei. Não sabia que isto era permitido. Não me lembro de ter lido algum livro que contenha palavrões. Não consegui identificar se isto é bom ou ruim, por que, até onde eu saiba, todo mundo já xingou uma vez na vida e há cenas que não dão para ser descritas apenas com um "merda" ou um "droga".


Beijos e até a próxima. Comentem, quero saber o que vocês pensam. Já leram? Minha resenha te incentivou a ler o livro, a comprar o livro?

PS: Este livro foi fruto de um sorteio ganhado através do facebook pelo blog Distopicamente. Curta a página do blog aqui e siga o blog aqui


Adicione ao skoob aqui
238 páginas
Editora: Novo Conceito
Autora: Deb Caletti

6 comentários:

  1. Nossa, esse livro me pareceu mais interessante do que eu achava! Acho que se eu lesse esse livro ia me sentir como você... Sua resenha mexeu bastante comigo... E também, vim te avisar que tem um selo pra ti em meu blog:
    http://marcaprovisoria.blogspot.com.br/2013/07/meme-10-books.html
    Beijinhos. :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, novamente, pela atenção.irei responder ao selinho logo,logo.

      O livro mexeu muito comigo , bom ,na realidade, foi o que a autora quis nos mostrar que me deixou toda sentimental.Eu fiquei decepcionada quando descobri que poucos leitores sentiram o mesmo que eu :(

      Beijinhos **

      Excluir
  2. Olá!!!!Interessante este livro,e para falar a verdade esta é a primeira resenha dele que leio.
    Acho interessante um livro tocar uma pessoa e faze-la compreender um pouco mais de si aos que estão ao seu redor.
    Me interessei pelo livro,já o adicionei em minha lista.Espero muito poder me surpreender com esta leitura assim como você.E olha que são poucos os livros que conseguem fazer isso com nos leitores.

    Parabéns pela resenha!

    Beijokas Ana Zuky

    Blog Sangue com Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero sinceramente que você tenha as mesmas sençasões que tive ao ler este liro. São sensações muito boas de auto-conhecimento. Aprecie a leitura. Beijooooos!

      Excluir
  3. Adorei a resenha,fiquei com muita vontade de ler este livro. A temática dele me parece muito boa e diferente, com certeza vai entra para minha lista de livros.
    Beijos
    -Marina
    http://btocadoslivrom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro que vc não se arrependerá de ter em sua estante e, além do mais vc aprenderá bastante com ele.

      Excluir

Seu comentário é importante e sempre bem-vindo!
*Você pode comentar sem ter uma conta do Google. Escolha a opção NOME/URL. No espaço para NOME, coloque seu nome/apelido e o espaço para URL não é obrigatório, mas se quiser, pode colocar o endereço de alguma rede social que possui.
*Blogueiros, deixem o link de seus blogs para que eu possa conhecê-los.
*Viu algum erro ortográfico no post? Desculpe-me, às vezes esses danados passam pela minha revisão. Bem, se não for muito incômodo, peço que use o formulário que se encontra na barra lateral direita desse blog para me informar do erro. Desde já agradeço a atenção.
Obrigada pela visita e volte sempre!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...