08/06/2013

Resenha/dissertação - Política nacional de atenção à saúde dos povos indígenas

  
                           



É do saber de todos que os primeiros habitantes do Brasil são os índios. Com a Colonização a população indígena foi dizimada caindo para menos da metade. Doenças infecciosas trazidas pelos portugueses, a escravidão, maus tratos são alguns dos fatores que contribuíram para esta calamidade.

Desde o início, os índios sempre foram vistos como a parte de um todo, não tendo suas diferenças aceitas e reconhecidas. Vê-se a necessidade de uma política indigenista de atenção voltada para a saúde que não obedeça mais a esta diretriz. Ao longo dos anos algumas políticas foram criadas, mas todas as iniciativas ignoravam as especificidades étnicas e culturais relacionadas ao adoecer das populações indígenas.

  
No dia 31 de janeiro de 2012 é aprovada a Política Indigenista de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas. O diferencial desta política é que em todo seu processo de formulação, implantação, avaliação e aperfeiçoamento contaram com a participação de representantes das organizações indígenas.

A formação e a capacitação de indígenas como agentes de saúde é uma estratégia que visa favorecer a apropriação pelos povos indígenas de conhecimentos e recursos técnicos da medicina ocidental, não de modo a substituir, mas de somar ao acervo de terapias e outras práticas culturais próprias.


Essa política parece não ser falha, mas, para mim, muitas das diretrizes nela contida servirão para a descaracterizarão cultural. Por trás desta história de "somar" saberes está a "morte lenta" e inevitável dos povos indígenas como grupos culturais com identidade própria.


Os indígenas estão condenados pelo seu encontro com o caráter homogêneo da nossa sociedade que tudo abocanha para sua monotonia. Seu estado de "primitividade", se assim posso dizer, ajuda com que o governo através deste tipo de "ajuda" os tirem de sua essência.


Se você for ler esta política por completo, como eu li, perceberá que os termos "ensinar" e "aprender" são constantemente citados, não que os índios não aprendem nada, mas eles estão aprendendo o que não é necessário: como ser um membro da nossa sociedade. Os povos indígenas estão caminhando para desfazer-se no espaço homogêneo da nacionalidade. 


Referências:

Política Nacional de Atenção à Aaúde Indígena


Uma monografia de Maria Célia Pinheiro Machado Paoli com tema: "O sentido histórico da noção da cidadania no Brasil: onde ficam os índios?"


4 comentários:

  1. Muito legal a sua dissertação! Os índios são nossas raízes, temos que valorizar eles, afinal também são gente como a gente!

    Bjs, http://likelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você érick!Eles precisam ter suas diferenças aceitas e valorizadas também!

      Excluir
  2. Os indíos são merecedores de atenção e respeito.

    http://iasmincruz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Karina, com todos os problemas que estão ocorrendo aqui no meu estado (mato grosso do sul) entre os indios e os fazendeiros, é sempre bom procurarmos conhecer onde começou a surgir o problema e a cultura.
    legal sua leitura!
    biejos
    http://nolimitedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante e sempre bem-vindo!
*Você pode comentar sem ter uma conta do Google. Escolha a opção NOME/URL. No espaço para NOME, coloque seu nome/apelido e o espaço para URL não é obrigatório, mas se quiser, pode colocar o endereço de alguma rede social que possui.
*Blogueiros, deixem o link de seus blogs para que eu possa conhecê-los.
*Viu algum erro ortográfico no post? Desculpe-me, às vezes esses danados passam pela minha revisão. Bem, se não for muito incômodo, peço que use o formulário que se encontra na barra lateral direita desse blog para me informar do erro. Desde já agradeço a atenção.
Obrigada pela visita e volte sempre!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...